Está comprovado: comer devagar emagrece!

Está comprovado: comer devagar emagrece!

Se quer emagrecer, o melhor é “desacelerar” a velocidade a que come.

Sim, é mesmo verdade, a velocidade a que ingere os alimentos tem influência no seu peso corporal e comer devagar pode mesmo ajudá-lo a perder alguns quilinhos. 
 

“Depressa e bem, há pouco quem!”

O ditado é bem conhecido e, pelos vistos, também se aplica à rapidez com que come até porque se diz que comer devagar faz bem à saúde. Segundo dizem os especialistas, comer depressa pode contribuir para um aumento de peso. Não acredita? Então saiba que são já vários os estudos que comprovam esta “teoria”, inclusivamente um de uma investigadora portuguesa, Júlia Galhardo, que – em 2012 – lhe valeu inclusivamente o prémio Henning Andersen, da Sociedade Europeia de Endocrinologia pediátrica.

Comer devagar emagrece: como?



A prova

Consulta Gratuita de Nutrição
Perca peso de forma saudável e não o volte a ganhar! Fale já com a nutricionista online!
O estudo realizado por Júlia Galhardo, no Hospital Pediátrico de Bristol, estudou o efeito que comer devagar tem a nível hormonal.

Durante um ano, foram estudadas duas hormonas do sistema digestivo que circulam no sangue, relacionadas com os hábitos alimentares: a Grelina, que é segregada pelo estômago e que dá a sensação de fome, e o Peptídeo Tirosina-Tirosina (PYY), segregado pelo intestino e que promove a sensação de saciedade.

O estudo prolongou-se por 12 meses e incluiu dois grupos de jovens, um dos quais teve aconselhamento alimentar, dietético e físico e outro a quem foi dada uma balança computorizada para que pesassem diariamente alimentos do almoço e do jantar e que media a velocidade a que comiam, que não deveria exceder as 300-350 gramas em 12-15 minutos e caso a velocidade fosse superior, o computador “avisava-os” que deveriam comer mais devagar.

Findo o tempo do estudo, foi analisado o índice de massa corporal (IMC) dos dois grupos e verificou-se que o grupo que tinha a velocidade da ingestão de alimentos controlada, registava uma diminuição do índice de massa corporal significativamente superior à do grupo que apenas tinha mantido uma alimentação equilibrada e praticado exercício físico.

A verdade é que a teoria não é nova e já muito se tinha ouvido falar sobre o assunto. No fundo, era do senso comum a ideia de que comer que comer devagar é mais saudável e ajuda a evitar ganhar peso. O que se desconhecia até então eram os efeitos a nível hormonal.

O que acontece?

É mais fácil de entender do que possa pensar. Em todo este processo, e ao comer devagar, o que acontece é que se verifica uma “comunicação” entre o aparelho digestivo e o cérebro, em que o aparelho digestivo informa o cérebro se está com fome, ou saciado.

Ao comer mais devagar, as hormonas têm mais tempo para processar e enviar essa informação de forma regulada, fazendo com que ao mastigar e saborear bem os alimentos, sinta mais prazer com a refeição e se sinta saciado mais facilmente (e com menos comida).  

Já quando se come muito depressa, o que normalmente se verifica é que fica com a sensação de estar cheio rapidamente, mas continua insatisfeito. A razão: não permitiu que as hormonas processassem e enviassem a informação de saciedade ao cérebro.  

Mais. Segundo a investigadora, Júlia Galhardo, nunca deve demorar menos de trinta minutos numa refeição completa, que deve incluir sopa e prato principal.

Além disso, comer devagar tem outras vantagens. Além de lhe permitir perder peso de forma saudável e controlada e de permitir que aprecie a sua refeição, comer devagar ainda melhora digestão (já que ao mastigar bem a comida, não obriga o estômago a trabalhar tanto) e alivia o stress.

Certo é que agora sabe que comer devagar não é apenas para desfrutar da sua refeição. Ao fazê-lo pode estar a reduzir o seu peso, o que é – sem dúvida – uma vantagem. 
 

Veja também: