Barras Proteicas: como fazer uma boa escolha?

As barras proteicas podem ser uma solução para um snack nutritivo ou para complementar a ingestão de proteína em atletas. Venha conhecê-las melhor.

Barras Proteicas: como fazer uma boa escolha?
Uma solução prática para quem pratica desporto e não só!

Quando se fala em aumento de massa muscular ou emagrecimento, a proteína é um nutriente bastante importante. E se nas refeições principais é relativamente fácil atingir as 20-30g necessárias de proteína, nas intermédias já se torna mais difícil.

Para solucionar ou pelo menos facilitar a situação, existem as barras proteicas.

Composição nutricional das Barras Proteicas


Tal como o próprio nome indica, as barras proteicas deverão constituir uma fonte interessante de proteína, sendo que algumas são também suplementadas com outros nutrientes, tais como: vitaminas, minerais, cafeína, glutamina, taurina ou crómio.

Uma boa barra de proteína deverá fornecer entre 15 a 20 g de proteína de elevado valor biológico, na maioria dos casos proteína de leite, e possuir um teor reduzido de gordura e açúcar.

Desta forma, as barras proteicas podem ser utilizadas como complemento proteico a uma refeição como pequeno-almoço, como um snack prático e nutricionalmente interessante entre as refeições ou, ocasionalmente, como substituto de uma refeição.

No caso de atletas, a proteína extra que estas barras fornecem, em conjunto com alguns hidratos de carbono de rápida absorção, ajuda no aumento e recuperação muscular, reduzindo assim o tempo necessário a estes processos.

Como escolher uma boa barra de proteína?


As barras proteicas estão atualmente à venda em diversos estabelecimentos nomeadamente, hipermercados, lojas de desporto e lojas com uma vertente mais dietética, e ainda nas lojas de suplementação online, de que é exemplo a Prozis.

No entanto, a composição de algumas barras intituladas de “proteicas” não é a melhor e, facilmente se compra uma barra que, em vez de elevado teor de proteína, possui na verdade, elevado teor de açúcar e/ou gordura e apenas uma quantidade modesta de proteína.

Deste modo, quando for comprar uma barra de proteína, além de olhar para a tabela nutricional, deve também reparar na lista de ingredientes e procurar barras com um elevado teor de proteína, preferencialmente de leite ou ovo, baixo teor de açúcar, gordura e aditivos.

Alguns exemplos de boas Barras proteicas


1. Protein Gourmet Bar 80 g da marca Prozis

 Protein Gourmet Bar 80 g

A Protein Gourmet Bar é uma barra de proteína da marca prozis que cumpre os requisitos enumerados anteriormente.

De facto, esta barra fornece cerca de 20g de proteína por barra de 80g (25g/100g), sendo esta proteína de origem láctea (proteína Whey, mais concretamente).

Além disso, apresenta um conteúdo interessante em fibra e praticamente não apresenta aditivos.

Por outro lado, como fornece um teor de lípidos e açúcares moderado, o valor energético é considerável, devendo, por isso, ser utilizada sobretudo em contextos de aumento de massa muscular e não tanto por quem quer perder peso.

Contudo, caso queira perder peso, pode dividir a barra em porções mais pequenas e consumi-la em duas ou mais refeições intermédias (ex. meios da manhã e da tarde), em vez de pão, tostas, bolachas, etc.

2. Quest Bar 60 g da marca Quest Nutrition

Quest Bar 60 g

A Quest Bar é uma das barras proteicas com melhor perfil nutricional. Fornece 20 g de proteína por barra de 60g (33g/100g), sendo esta proteína de origem láctea, e ainda fibra e poucos aditivos alimentares, à semelhança da anterior.

Neste caso, o teor de açúcar e lípidos já é bastante menor, assim como o valor energético total, podendo ser utilizada por quem pretende aumentar massa muscular, mas também por quem perder peso (deverá no entanto dividir a barra em 2 porções).

Esta barra tem ainda a vantagem de não possuir glúten e está disponível na loja online da Prozis e em algumas lojas físicas de suplementação.

3. PRO•CGT Protein Bar 75 g da Bodyraise

PRO CGT Protein Bar 75 g

A PRO•CGT Protein Bar é uma barra proteica que contém 30 g de proteína por barra de 75g (40g/100g), sendo a proteína proveniente do leite.

Relativamente à quantidade de açúcar e lípidos é bastante significativa, o que faz com que esta barra apresente um valor energético mais elevado.

Além de proteína, esta barra é também enriquecida com vitaminas e minerais, Monohidrato de Creatina, Glutamina e Taurina, sendo destinada a quem pretende aumentar a massa muscular e o rendimento no treino.

Disponível no site da Prozis e em lojas de suplementação.

4. Total Protein bar 46 g da Gold Nutrition

Total Protein bar 46 g

A Total Protein Bar da GoldNutrition é uma barra proteica que fornece 15g de proteína por barra de 46g (33g/100g), sendo exclusivamente constituída por proteínas de leite.

É uma barra facilmente digerivel, uma vez que não contém lactose e apresenta baixos níveis de lípidos. No entanto, como o teor de hidratos de carbono e açúcar é considerável, o seu consumo por quem quer perder peso requer alguma moderação.

Tem ainda a vantagem de ser enriquecida em vitaminas e minerais e pode também ser adquirida no site da Prozis ou em lojas de suplementação físicas.

5. Protein Plus 52% Bar 50 g da Power Bar

Protein Plus 52% Bar 50 g

No seguimento das opções mencionadas anteriormente, esta barra proteica apresenta uma dose significativa de proteína: 26 g de proteína por barra de 50 g (52g/100g).

Neste caso, a proteína não é exclusivamente láctea (cerca de 13% é proteína de soja), mas não deixa de ser uma opção interessante pelo baixo teor de açúcar e lípidos e pelo maior teor em proteína total.

À semelhança das anteriores, pode ser adquirida no site da Prozis ou fisicamente numa loja de suplementação.

7 Benefícios das Barras Proteicas


beneficios das barras proteicas

Estes são os benefícios mais evidentes das barras proteicas:

  1. Fornecem proteína de alto valor biológico;
  2. Ajudam no processo de aumento da massa muscular;
  3. Estimulam a recuperação muscular após o treino;
  4. Possuem baixo teor de gordura e açúcar, podendo ser incluídas em contextos de perda de peso;
  5. Constituem um snack prático, nutricionalmente completo e saciante;
  6. Têm uma digestão e absorção fáceis;
  7. Na maioria dos casos, apresentam sabores agradáveis a alimentos normalmente excluídos dos planos alimentares: chocolate, bolachas, caramelo, entre outros.

Quem pode consumir barras proteicas?


barras proteicas quem pode consumir

Inicialmente, as barras proteicas surgiram para complementar a alimentação dos atletas, uma vez que as necessidades proteicas de quem pratica exercício de forma regular e intensa são logicamente, superiores.
Posteriormente, constatou-se também que poderiam ser úteis em regimes destinados à perda de peso, na medida em que uma dieta rica em proteína está associada a uma maior sensação de saciedade e maior controlo de apetite e também ao aumento da massa magra e, consequentemente, do metabolismo basal.

Como tal, hoje em dia as barras proteicas são encaradas como uma forma simples e prática de ingerir proteína e de fazer uma refeição saciante, em qualquer local e a qualquer hora do dia, por qualquer pessoa.

Considerações Finais


É importante salientar que como qualquer outro suplemento alimentar, as barras de proteína não devem ser utilizadas como substitutos de um regime alimentar variado e equilibrado e de um estilo de vida saudável e o seu consumo deverá passar pela aprovação de um nutricionista.

Caso deseje perder peso, a maioria destas barras poderá ter um valor energético muito elevado, sendo, por isso, recomendado que a divida em 2-3 porções ou então que opte pelas barras dietéticas, cujo valor energético é claramente mais adequado.

Calcule o seu IMC, descubra o seu peso ideal e a melhor forma de atingir os seus objetivos!

Veja também:

Ler mais
Rita Lima Rita Lima

Rita Lima é nutricionista e trabalha, atualmente, nos ginásios Urban Fit de Ermesinde, Antas Prime Fitness e CulturaFit Club no Porto. Durante 2 anos colaborou no projeto Dragon Force do Futebol Clube do Porto e com o Boavista Futebol Clube. É licenciada em Ciências da Nutrição pela Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto e frequentou o Curso de Nutrição no Desporto na mesma faculdade.