Cuidados a ter na alimentação no tratamento do cancro

A alimentação no tratamento do cancro: a nutrição tem um papel fundamental e pode ajudar a minimizar os sintomas.

Cuidados a ter na alimentação no tratamento do cancro
Como adequar a sua alimentação nas fases de tratamento

Uma correta alimentação no tratamento do cancro pode ajudar a minimizar o efeito dos sintomas mais comuns logo após as sessões de quimioterapia.

Os sintomas diferem de pessoa para pessoa, dependem do tipo de tratamento e condição clínica em causa pelo que cada caso deve ser avaliado de forma individualizada pelo médico e pelo nutricionista. Os tratamentos podem dar origem a diversos sintomas: sensação de fadiga, mal-estar, vómitos e alterações intestinais e debilitam o sistema imunitário.

Dada a doença em causa, as defesas estão naturalmente deficientes sendo que, na fase de tratamentos, esta situação acentua-se, sendo necessários mais cuidados de forma a reforçar o sistema imunitário. Dependendo do tipo de cancro e da condição clínica presente, muitos outros sintomas e mais específicos podem surgir.

Neste domínio, uma alimentação e suporte nutricional adequado podem fazer a diferença na minimização dos sintomas e também no sentido de fortalecer o sistema imunitário. Manter um peso adequado é também um fator primordial para o sucesso dos tratamentos, pelo que a alimentação no tratamento do cancro deve ser sempre monitorizada de forma a que não se verifiquem alterações de peso significativas e deficiências ao nível nutricional.

Infelizmente a nutrição não tem ainda o poder de curar o cancro mas é certo que pode fazer grande diferença no sucesso dos tratamentos e bem-estar de quem é submetido aos mesmos.

Cuidados a ter na alimentação no tratamento do cancro


alimentacao no tratamento do cancro e vegetais de folhas verdes

Tome nota das seguintes recomendações:

Plano de Saúde Grátis
Cuide da sua saúde. Obtenha consultas de clínica geral, medicina dentária e especialidade médicas gratuitas.Peça aqui o seu plano grátis.

  • Consuma, no mínimo, 5 porções de frutas e vegetais por dia.
  • Opte por lacticínios com baixo teor de gordura e sem açúcares adicionados.
  • Consuma peixe regularmente.
  • Opte por carnes magras: frango, peru ou coelho.
  • Inclua vegetais de folha verde na sua alimentação: brócolos, nabiças, espinafres, agrião, couve…
  • Coma sopa diariamente. Adicione carne ou peixe de forma a enriquecer a sua alimentação com proteína.
  • Opte por sumos de fruta se encontrar alguma dificuldade em comer a fruta inteira.
  • Realize várias refeições ao longo do dia, ainda que só consiga ingerir poucas quantidades de cada vez.
  • Coma algo que lhe dê prazer: varie os alimentos, textura e forma de preparação dos pratos.

Higiene e segurança alimentar

lavar bem as maos

Durante os tratamentos, o sistema imunitário poderá estar debilitado pelo que deve ter em conta cuidados de segurança alimentar.

  • Lavar as mãos antes, durante e após manipular alimentos é fundamental.
  • Mantenha os utensílios de cozinha devidamente higienizados.
  • Evite alimentos crus, opte sempre por ferver antes de os consumir.
  • Verifique as datas de validade dos alimentos antes de consumir.
  • Remova as partes danificadas dos legumes e fruta.
  • Lavar muito bem todas as frutas e vegetais antes de consumir.
  • Dar preferência a frutas de casca grossa e evitar fruta de casa fina (exemplo: morangos, uvas…)
  • Não utilize os mesmos utensílios para comer ou servir que foram utilizados em carne ou peixe cru.

Cuide da sua saúde. Consiga aqui consultas de clínica geral, medicina dentária e especialidade médica gratuitas!

Veja também:

Ler mais
Margarida Beja Margarida Beja

Margarida Beja é Nutricionista (1859NE) e trabalha atualmente no Reino Unido na área da gestão de peso. Anteriormente, trabalhou também no âmbito da nutrição comunitária e nutrição clínica e esteve envolvida em projetos ligados à prevenção da obesidade infantil, coaching e marketing nutricional. É licenciada em Dietética e Nutrição pela Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa.