Acupuntura: um método com falta de evidência!

A acupuntura consiste na estimulação de pontos que são vistos como lugares onde nervos, músculos e tecido conjuntivo podem ser estimulados.

Acupuntura: um método com falta de evidência!
Existem provas seguras da eficácia da acupuntura?

acupuntura faz parte da medicina tradicional chinesa, tendo-se tornado particularmente popular nas ultimas décadas. Esta técnica envolve a inserção de agulhas extremamente finas através da pele em pontos estratégicos do corpo.

A acupuntura é uma técnica que utiliza a capacidade natural do corpo de retornar à normalidade. Os efeitos terapêuticos são obtidos quando, através da inserção de agulhas sólidas e extremamente finas nos tecidos (normalmente a pele e os músculos), com o objetivo de modular o funcionamento do Sistema Nervoso, do Sistema Endócrino, do Sistema Imunitário e das glândulas exócrinas.

Esta estimulação local provoca a libertação de uma série de substâncias que têm como efeito final o aumento da circulação local, com melhoria da oxigenação e do aporte de nutrientes aos tecidos.

ACUPUNTURA: RECOMENDAÇÕES DA ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE


acupuntura e mulher com alergias

Em 2003, a Organização Mundial da Saúde (OMS) listou uma série de condições nas quais os benefícios da acupuntura foram comprovados.

Esses incluem:

  • Pressão sanguínea alta e baixa;
  • Depressão;
  • Náuseas e vómitos induzidos por quimioterapia;
  • Algumas condições gástricas, incluindo a úlcera péptica;
  • Período menstrual doloroso;
  • Rinite alérgica;
  • Dor facial;
  • Enjoo matinal;
  • Leucopenia (baixa de glóbulos brancos);
  • Artrite reumatoide;
  • Acidente vascular cerebral;
  • Entorses;
  • Cotovelo de tenista;
  • Ciática;
  • Dor dentária;
  • Correção de mal posição do feto;
  • Redução do risco de acidente vascular cerebral.

Outras condições para as quais a OMS diz que a acupuntura pode ajudar, mas mais evidências são necessárias incluem:

  • Fibromialgia;
  • Neuralgia;
  • Convalescença pós-operatória;
  • Dependência de drogas, tabaco e álcool;
  • Dor na coluna;
  • Torcicolo;
  • Demência vascular;
  • Tosse convulsa.

A OMS ressalva, no entanto, que “apenas as autoridades nacionais de saúde podem determinar as doenças, sintomas e condições para as quais o tratamento de acupuntura pode ser recomendado”.

Encontram-se aqui listadas apenas algumas das 28 condições para as quais a acupuntura demonstrou ser eficaz, segundo a Organização Mundial de Saúde. Estão descritas também 63 outras patologias para as quais a acupuntura é supostamente eficaz, mas necessita de mais evidência científica.

ACUPUNTURA: EVIDÊNCIA CIENTÍFICA


acupuntura na zona dos ombros e pescoco

 

Não há provas científicas de que existam meridianos ou pontos de acupuntura, e é difícil provar que eles fazem ou não, mas numerosos estudos sugerem que a acupuntura funciona para algumas condições. Alguns especialistas utilizaram a neurociência para explicar a acupuntura. A estimulação aumenta o fluxo sanguíneo, ao mesmo tempo que desencadeia a atividade dos analgésicos naturais do corpo.

É, de facto, difícil estabelecer investigações usando controlos científicos adequados, devido à natureza invasiva da acupuntura. Num estudo clínico, um grupo de controlo teria que se submeter a um tratamento fraudulento, ou a um placebo, para que os resultados fossem comparados com aqueles de acupuntura genuína.

Vários estudos publicados sugerem que a acupuntura pode ajudar a controlar certas condições de dor, mas a evidência sobre o seu valor para outros problemas de saúde é incerta.

No entanto, a acupuntura geralmente é considerada segura quando realizada por um profissional experiente e bem treinado usando agulhas estéreis. A acupuntura incorretamente realizada pode causar efeitos adversos sérios.

ACUPUNTURA: QUAIS SÃO OS RISCOS?


hematomas

Os possíveis riscos da acupuntura são:

  • É perigoso caso um paciente tenha um distúrbio hemorrágico ou tomar anticoagulantes.
  • Sangramento, hematomas e dor podem ocorrer nos locais de inserção.
  • Agulhas não esterilizadas podem infetar o paciente.
  • Em casos raros, uma agulha pode quebrar e danificar um órgão interno.

A Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (EUA) (FDA) regula as agulhas de acupuntura como dispositivos médicos. O seu fabrico respeita uma série de padrões de qualidade. As agulhas devem ser estéreis, não tóxicas e rotuladas apenas para uso por um profissional licenciado.

Tal como acontece com qualquer terapia complementar, é aconselhável usá-la em conjunto com tratamentos convencionais em casos de doença crónica ou grave.

3 COISAS A TER EM CONTA AO OPTAR PELA ACUPUNTURA


pontos no corpo de acupuntura

1. Médico com licença para aplicar acupuntura

Antes de se decidir por um tratamento de acupuntura,deve ter em conta primeiramente se escolheu um médico licenciado para aplicar acupuntura.

Deve, então, conversar com o médico para perceber qual o tratamento adequado ao seu problema em específico.

2. Medo de agulhas

Deve, depois, perceber que vão ser colocadas agulhas em pontos específicos do seu corpo, pelo que se for o caso de ter medo de agulhas, deve primeiramente conversar com o médico que o vai tratar.

A colocação das agulhas em muitos dos pontos é quase indolor. Informe-se e não deixe que o medo de agulhas o vença e impeça que faça um tratamento por acupuntura.

3. Preço dos tratamentos

Informe-se sobre os preços dos tratamentos para perceber se estão dentro do seu orçamento ou se precisa de se organizar para poder os poder pagar.

Infelizmente no nosso país, estes tratamentos não são comparticipados pelo Sistema Nacional de Saúde e a maioria dos seguros privados de saúde também ainda não tem em conta estes tratamentos complementares.

Veja também:

Farmacêutica Cátia Rocha Farmacêutica Cátia Rocha

Cátia Rocha é farmacêutica. Como apaixonada pela profissão, acredita na importância da educação para a saúde e num papel interventivo dos profissionais de modo a transmitir conhecimentos que considera importantes e fundamentais para o bem-estar da população. É Mestre em Ciências Farmacêuticas pelo Instituto Superior de Ciências da Saúde do Norte e exerce atualmente o cargo de farmacêutica na Farmácia Agra.